Se Tu Podes Crer; Tudo é Possível ao que Crê. ( Parte II )

Esse post é parte 2 de 2 na série Tudo é Possível ao que Crê!

AS16-118-18885_bg

“A coisa mais importante na vida de um ser humano é sua fé. A Bíblia diz: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” (Hebreus 11.6 – RA) Vemos em hebreus capitulo onze, também denominado galeria da fé, homens e mulheres que por crerem alcançaram grandes vitórias. Na biografia da Igreja vemos um grande questionamento entre os ministros do Senhor, porque algumas pessoas são curadas e outras não.”

Segundo Agostinho de Hipona todo ser humano é dotado de fé, uma vez que a alma humana recebe diretamente de Deus a faculdade de descobrir a verdade ou as ideias que na inteligência divina criadora deram origem a todos os entes.

A questão é o que fazemos com nossa fé. Por este motivo o texto diz sem fé é impossível agradar a Deus, (sem fé Nele) isto porque Deus sabe que temos fé, no entanto podemos direcioná-la como desejarmos. Incredulidade diz respeito a uma condição que tem origem em experiências individuais de cada ser humano, determinando com isto se sua fé será natural (física) ou salvifica (em Deus).

No entanto é o desejo humano que irá definir a condição de crédulo ou incrédulo na vida de um individuo eis a razão pela qual a incredulidade impede que Deus se aproxime do ser humano ou mesmo que opere um milagre.

Historicamente a fé moveu revoltas sociais, culturais, guerras tiveram sua motivação na fé. Deus sabe que todo ser humano é dotado de fé, por isto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e não apenas isto, creia que Ele se torna galardoador dos que buscam conhecê-lo, buscam sua vontade, sua face.

A palavra galardoador tem como raiz o vocábulo galardão, que significa recompensa, premio. Já o termo galardoar significa dar um galardão, também entendido como aliviar, consolar, remunerar. Quando nos aproximamos de Deus, crendo que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam, podemos não só alcançar o que nossos irmãos da galeria da fé alcançaram, mas recebermos de Deus o alivio, o consolo, a remuneração, o premio conquistado por seu filho Jesus, para todos aqueles que creem no seu nome. Vejamos se isto é verdade.

E, descendo ele do monte, seguiu-o uma grande multidão. E eis que veio um leproso e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo. E Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; sê limpo. E logo ficou purificado da lepra. ( Mateus 8. 1-3 Ilumina Gold, 2009 – RC)

E certa mulher, que havia doze anos tinha um fluxo de sangue, e que havia padecido muito com muitos médicos, e despendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes indo a pior, ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua vestimenta. Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. E logo se lhe secou a fonte do seu sangue, e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal. ( Marcos 5. 25-29 Ilumina Gold, 2009 – RC)

E eis que uns homens transportaram numa cama um homem que estava paralítico e procuravam fazê-lo entrar e pô-lo diante dele. E, não achando por onde o pudessem levar, por causa da multidão, subiram ao telhado e, por entre as telhas, o baixaram com a cama até ao meio, diante de Jesus. E, vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Homem, os teus pecados te são perdoados. E os escribas e os fariseus começaram a arrazoar, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, respondeu e disse-lhes: Que arrazoais em vosso coração? Qual é mais fácil? Dizer: Os teus pecados te são perdoados, ou dizer: Levanta-te e anda? Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra poder de perdoar pecados (disse ao paralítico), eu te digo: Levanta-te, toma a tua cama e vai para tua casa. E, levantando-se logo diante deles e tomando a cama em que estava deitado, foi para sua casa glorificando a Deus. E todos ficaram maravilhados, e glorificaram a Deus, e ficaram cheios de temor, dizendo: Hoje, vimos prodígios.( Lucas 5. 18-26 Ilumina Gold, 2009 – RC)

E, levantando-se dali, foi para os territórios de Tiro e de Sidom. E, entrando numa casa, queria que ninguém o soubesse, mas não pôde esconder-se, porque uma mulher cuja filha tinha um espírito imundo, ouvindo falar dele, foi e lançou-se aos seus pés. E a mulher era grega, siro-fenícia de nação, e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio. Mas Jesus disse-lhe: Deixa primeiro saciar os filhos, porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, porém, respondeu e disse-lhe: Sim, Senhor; mas também os cachorrinhos comem, debaixo da mesa, as migalhas dos filhos. Então, ele disse-lhe: Por essa palavra, vai; o demônio já saiu de tua filha. E, indo ela para sua casa, achou a filha deitada sobre a cama, pois o demônio já tinha saído. ( Marcos 15. 24-30 Ilumina Gold, 2009 – RC)

E, entrando Jesus em Cafarnaum, chegou junto dele um centurião, rogando-lhe e dizendo: Senhor, o meu criado jaz em casa paralítico e violentamente atormentado. E Jesus lhe disse: Eu irei e lhe darei saúde. E o centurião, respondendo, disse: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado sarará, pois também eu sou homem sob autoridade e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu criado: faze isto, e ele o faz. E maravilhou-se Jesus, ouvindo isso, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé. Mas eu vos digo que muitos virão do Oriente e do Ocidente e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no Reino dos céus; 12os filhos do Reino serão lançados nas trevas exteriores; ali, haverá pranto e ranger de dentes. Então, disse Jesus ao centurião: Vai, e como creste te seja feito. E, naquela mesma hora, o seu criado sarou.( Mateus 8. 5-13 Ilumina Gold, 2009 – RC)

Gostaria de chamar sua atenção para algo em comum nos textos acima, onde podemos ver claramente uma expressão de fé. O leproso vence a barreira cultural e aproxima-se de Jesus mesmo estando ciente de que isto poderia conduzi-lo ao apedrejamento, ele tinha fé de que Jesus poderia cura-lo o que não sabia é se ele queria; a mulher do fluxo de sangue propôs em seu coração, se tão somente eu tocar a orla da sua veste ficarei curada, quem ensinou isto a ela! A certeza de que Jesus poderia curar levou os amigos de um homem a uma atitude extrema para coloca-lo frente ao mestre; primeiro os filhos devem ser servidos, o que dizer da resposta de Jesus ao pedido de uma mulher; dize apenas uma palavra e o meu criado sarará disse o centurião.

O que moveu estas pessoas a tais atitudes, Fé! A fé moveu estas pessoas e por causa da fé receberam o seu milagre. A fé encorajou aquele leproso; a fé disse a mulher do fluxo de sangue, basta tocar; a fé levou aqueles homens a destelharem a casa conduzindo seu amigo a presença de Jesus; a fé levou aquela Siro-fenícia a uma postura humilde o que lhe deu sua vitória; a fé revelou ao centurião, basta uma palavra.

A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.(Hebreus 11. 1 Ilumina Gold, 2009 – NTLH)

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.(Hebreus 11. 1 Ilumina Gold, 2009 – RA)

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem.(Hebreus 11. 1 Ilumina Gold, 2009 – RC)

Aquele pai veio a Jesus, no entanto lhe faltava fé, pois não tinha certeza se Jesus podia lhe ajudar este certamente é o problema de muitas pessoas. A incredulidade é o único fator que pode impedir alguém de receber um milagre, por este motivo Jesus responde ao questionamento daquele pai dizendo: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê. O desejo de Jesus era fazer mais que um milagre, seu desejo era conduzir de volta ao Pai àquele que se havia perdido.

E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade. (Marcos 9.24 Ilumina Gold 2009- RC)

Se tu puder crer… Jesus condiciona o milagre à fé, temos aqui uma grande lição, “… Eu creio Senhor! Ajuda a minha incredulidade…” disse aquele pai. É possível crer ao mesmo tempo em que se é incrédulo?

Como já dito, fé salvifica (em Deus) é uma questão de decisão, este pai entendeu que mesmo seu filho estando naquela situação ele precisava ter fé, no entanto ele confessa ao Senhor Jesus que é incrédulo diante daquele problema. Não se pode dizer que existem graus de fé, pois estaríamos normatizando algo que é individual o que vai contra a Palavra de Deus, ocorre, no entanto que a fé pode se tornar pequena diante de um determinado problema. Por exemplo, é mais fácil crer na cura de alguém que fraturou a perna do que na cura de alguém que está com câncer. Isto foi o que Jesus disse aos apóstolos quando questionado sobre o porque não puderam eles fazer nada diante daquela situação.

Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Porque não pudemos nós expulsá-lo? E Jesus lhes disse: Por causa da vossa pequena fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá – e há de passar; e nada vos será impossível. (Mateus 17. 19-20 RC Ilumina Gold 2009).

Jesus esta dizendo que a fé deles é pequena mas, se tivessem fé do tamanho de um grão de mostarda que é um dos menores grãos existentes nada lhes seria impossível. Obviamente os apóstolos tinham fé, no entanto sua fé se tornou pequena ao se depararem com o problema daquele pai, isto é o que acontece com muitos cristãos, homens e mulheres de Deus que tem sucumbido diante de um determinado problema.

A maior lição sobre a fé ensinada por Cristo está na passagem citada acima, a solução para a falta de fé diante de um problema é decidir ter fé, esta decisão é o grão de mostarda que lhe fará dizer ao monte passa daqui para acolá e ele há de passar; e nada vos será impossível.

Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.(Romanos 1.17 RC Ilumina Gold 2009)

Se você hoje se encontra incrédulo diante de um problema, tome uma decisão. Decida crer!

Só existe um caminho para o justo, ter fé em Deus; fé para entregar sua vida, seu caminho a Deus, fé para crer na sua palavra, fé para conduzir a família, fé para educar os filhos, fé para ser prospero, fé diante de todo e qualquer problema, fé…

Tomei a decisão de crer, será que minha fé já pode vencer o problema? Uma vez que decidimos crer é necessário agir conforme a fé, “… direis e este monte: passa daqui para acolá e ele há de passar”, para tal é necessário uma vida de oração, de contato com a Palavra, uma vez que a fé vem (é gerada) pelo ouvir a Palavra de Deus.

E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo. (Romanos 10.17 RC)

Ao escrever este post o Espírito Santo falou claramente ao meu espírito, muitos não recebem seu milagre por indecisão, ou por acharem que sua fé ainda não é suficiente. Será que a fé deste pai se tornou grande o suficiente para receber seu milagre pelo fato de ter sido persuadido por Jesus? Não, é claro que não.

No entanto sua decisão foi crer, independente da condição em que se encontrava seu filho, independente do que ele mesmo pensava, sentia sobre a questão. O grão de mostarda é na verdade uma decisão que deverá se refletir em uma nova postura diante do problema, onde a pratica da fé encontra o verbo (Jesus) e este produz o milagre.

“… Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé!” (Marcos 9.24 Ilumina Gold 2009- RA)

Vendo Jesus que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai deste jovem e nunca mais tornes a ele. E ele, clamando e agitando-o muito, saiu, deixando-o como se estivesse morto, a ponto de muitos dizerem: Morreu. Mas Jesus, tomando-o pela mão, o ergueu, e ele se levantou. (Marcos 9.25-27 Ilumina Gold 2009- RA)

Observemos o exemplo de Jesus: Ele se volta ao menino e dá uma ordem a causa do problema, “espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai deste jovem e nunca mais tornes a ele”…, o resultado não poderia ser outro, “e ele, clamando e agitando-o muito, saiu, deixando-o como se estivesse morto, a ponto de muitos dizerem: Morreu.”

O olho humano viu apenas a criança caída completamente desfalecida a ponto de pensarem, morreu. Qual foi a atitude de Jesus, “… tomando-o pela mão, o ergueu, e ele se levantou”.

Este é o exemplo a ser seguido, tomar uma decisão, entrar em contato com a palavra, praticar a fé, poderíamos descrever nestes três estágios esta passagem.

Querido leitor, se tu podes crer tudo é possível ao que crê.

Decida-se por Jesus, entre em contato com sua Palavra e prepare-se, para viver o sobrenatural de Deus, pois nada lhe será impossível.

Se Tu Podes Crer! Tudo é Possível ao que CRÊ! Parte I

Esse post é parte 1 de 2 na série Tudo é Possível ao que Crê!

principio e fim

Nos tempos de Jesus, ter filhos era algo muito importante para um casal segundo a cultura judaica, uma vez que a prole era considerada o prolongamento da vida, a imortalidade vista através da genealogia humana.

Para a esposa, o filho representava a confirmação divina de sua condição fértil, da real união com seu marido, possibilitando que a semente deste possa proliferar-se sobre a terra, já para o marido, um filho significava a extensão de sua própria vida, de seu nome, em especial quando se trata de um menino. Por este motivo, a união entre um homem e uma mulher deveria resultar em vida, uma nova vida, que trazia em si a confirmação da benção de Deus sobre o casal, tornando-os uma família.

O que deveria ser benção tornou-se grande tormento na vida de um casal judeu, que não tendo mais onde buscar ajuda para a solução de seu problema decide recorrer a Jesus, o Nazareno. Ao encontrar os apóstolos, o pai relata a estes seu problema, e eles não puderam lhe ajudar, levantando com isto grande discussão com os escribas sobre a questão. Jesus chega entre eles e lhes pergunta o que está ocorrendo, antes mesmo de ouvir a resposta dos apóstolos, o pai desesperado se lança aos pés de Jesus suplicando-lhe ajuda.

‘E um, dentre a multidão, respondeu: Mestre trouxe-te o meu filho, possesso de um espírito mudo; e este, onde quer que o apanha, lança-o por terra, e ele espuma, rilha os dentes e vai definhando. Roguei a teus discípulos que o expelissem, e eles não puderam. Então, Jesus lhes disse: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-mo.(Marcos 9.17-19 Ilumina Gold 2009- RA)’

Apesar de sucinto, o relato deste pai nos mostra a grande tribulação vivida por sua família. Dor angustia e sofrimento provocaram no ceio familiar o desespero diante da impossibilidade de solução para a condição em que vivia seu filho. Era necessário vigiar o menino em todas as vigílias de um dia, vinte e quatro horas, para segurança de sua própria vida.

Será que a vida desta família era normal! Será que tinham ajuda de seus irmãos, parentes, amigos… Como deveria ser sua rotina diária, sua relação marital. Qual será a expectativa de futuro deste casal… Certamente não era normal. Afinal, seu filho, seu único* filho tornou-se ainda na infância possesso de um demônio, que em qualquer lugar e a qualquer hora o lançava no fogo, na água, na terra, fazendo espumar e ranger os dentes, contorcendo seu corpo na tentativa de conduzi-lo a morte.

Não bastasse isto, tal possessão atingia o físico da criança, deixando-a muda e surda. Imagine o tamanho da dor deste pai, desta mãe; dor que se multiplicava dia a dia frente a situação de seu filho. *Lucas 9. 38.

Temos aqui um quadro atual, vivenciado pela sociedade brasileira, que hoje esta entre os países onde mais se consome crack. Famílias sendo desintegradas pela perda de seus filhos, tragadas pelo desespero, impotentes diante de um demônio chamado crack, afinal, bastam duas ou três fumadas no cachimbo da morte para que a droga possua por completo um individuo. Velhos, adultos, jovens e crianças totalmente sujeitos a ação do mal, que age rapidamente tornando o ser humano surdo a voz de sua família, a voz daqueles que por ventura tentarem ajudar.

Aprisionados em si mesmos, mudos diante da imponente força que os domina, entregam seu corpo, sua alma, seu espírito ao senhorio do crack, que os conduzirá com maestria até morte. Sem ajuda, pais e mães tornam-se enfermos dia a dia enquanto sua família é arrastada ao caminho da desesperança, da solidão, da falta de fé.

Solitário em sua luta, sem fé e esperança, este pai se lança diante de Jesus, na tentativa de quem sabe encontrar uma solução, a atitude de Jesus é no entanto surpreendente. Vendo o menino caído ao chão, Jesus se volta a seu pai e lhe pergunta:

Quanto tempo isto ocorre? Após ouvir um relato ainda mais minucioso Jesus é questionado por aquele homem que lhe diz: Se tu podes alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos.

Jesus então lhe diz: Se tu podes crer! Tudo é possível ao que crê.

‘E trouxeram-lho; e, quando ele o viu, logo o espírito o agitou com violência; e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, espumando. E perguntou ao pai dele: Quanto tempo há que lhe sucede isto? E ele disse-lhe: Desde a infância. E muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para o destruir; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê.(Marcos 9.20-23 Ilumina Gold 2009- RC)’

Jesus poderia ter solucionado a questão de forma direta, no entanto a falta de fé daquele pai lhe chamou a atenção, “mas, se tu podes alguma coisa”. Por este motivo Jesus busca restaurar na vida daquele pai a coisa mais necessária ao ser humano, sua fé em Deus, “se podes! Tudo é possível ao que crê”.

A maioria das pessoas que bate a porta de uma Igreja não está em busca de Deus e de sua vontade, na verdade são conduzidas por desejos pessoais, pelo desespero de situações impostas pela vida, iriam a qualquer lugar em busca de uma solução, esta era a condição daquele pai.

A vontade de Deus não esta apenas em solucionar os problemas últimos de um ser humano, mas por meio de Jesus sua vontade é estabelecer um relacionamento com o homem, tirando-o da condição de pecador para filiação, onde o próprio Deus conduzirá sua vida. Você veio a mim, e questiona se eu posso fazer alguma coisa… Se tu podes crêr! Tudo é possível ao que crê.

E você! Pode crer?

Continua…