Você alguma vez já não se sentiu a vontade para orar por algo?

Depois que confessei Jesus como Senhor e Salvador da minha vida, compreendi o quanto o poder de Deus está disponível para manter sãos tanto nosso espírito como nosso corpo.

Tenho testemunhado nos últimos anos a poderosa manifestação do poder de Deus em curas e libertações que se fossem testemunhadas pelo homem mais descrente desta Terra o faria se converter dos seus maus caminhos e dobrar seus joelhos diante do criador de todas as coisas.

Tenho orado por tantos quantos o Senhor envia para mim e também por mim e para os da minha casa, porém algumas vezes tenho visto também muitos dos meus irmãos que recebem oração e não recebem a cura.

Já escrevi sobre cura outras vezes aqui no blog, porém nunca tinha me deparado com uma situação como a que estou me deparando agora.

Há menos de dois meses descobri que nasci com dois marcadores genéticos que dizem para o meu organismo que a proteína do glúten é um agressor, como um virus ou uma bacteria, liberando anticorpos que atacam a proteína do glúten, principalmente quando ela chega no duodeno, que na batalha sai como o maior perdedor, passando a sofrer de uma inflamação crônica ou duodenite.

Não existe remédio para um celíaco, a única solução é deixar de comer produtos que contem glúten para poder ter uma vida saudável, sem correr o risco de desenvolver um linfoma de intestino no futuro.

Desde que descobri isso passei a viver um grande dilema com cristão e crente na cura divina que sou, pois ao mesmo tempo que tenho vontade de ser curado e voltar a comer todas as delicias que contem glúten que agora estou privado de comer, algo muito forte me diz que se eu deixar de comer todas essas guloseimas viverei alguns anos a mais.

Então eu me pergunto o que é melhor para mim?

A resposta é: Deus sabe!

O que sei é que nesse período sem glúten e lactose, que também descobri ser intolerante, minha qualidade de vida deu um salto que eu nunca imaginei que seria possível e nesse pouco tempo já perdi quatro quilos sem fazer o menor esforço, pois definitivamente meu sistema digestivo voltou a funcionar.

Ao escrever esse post chego a conclusão que o melhor a fazer nesses casos específicos é deixar tudo nas mãos daquele que conhece o que é melhor para nós, não pedindo nada da carne e para a carne, apenas descansando e sabendo que tudo está sobre o controle do altíssimo, pois não foi por acaso que entre os mais de 7.000.000.000 de habitantes da terra eu faria parte de um grupo de apenas 0,17% dessa população.

Fiquem todos na paz do Senhor e orem para que Deus faça o que é melhor para nós e não apenas o que queremos ou achamos ser o melhor!

“Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.” Thiago 4:3