Porque vocês devem ouvir o que eu digo? Parte X

Esse post é parte 10 de 13 na série Porque vocês devem ouvir o que eu digo?

large_4860521678

Agora vamos falar de algo que tem gerado controvérsias e muitos julgamentos ao meu respeito:

Os fatos que antecederam a minha expulsão do seminário bíblico ligado ao mesmo ministério da igreja a qual me desliguei em agosto de 2011.

Antes de começar gostaria de dizer que o grande mal do homem, inclusive foi o meu grande erro nesse caso, é querer interpretar com os olhos naturais o que Deus nos mostra no mundo espiritual.

Quero dar como exemplo o caso de um irmão com o qual tive uma visão, caído no chão, agonizando e baleado, e que eu em seguida orava por ele para que ele fosse curado.

Nesse caso específico o Senhor estava me mostrando o seu estado espiritual, depois de tantas decepções que ele havia tido com o “Sistema Religioso” (Estou usando esse termo emprestado de um irmão querido de João Pessoa-PB), e a minha missão era justamente fortalecê-lo, em espírito, para que ele saísse daquele estado.

Porém esse entendimento só chegou depois de alguns erros cometidos, por isso hoje sou um homem mais prudente ao tentar entender as coisas de Deus, pois se trata de Revelação de Deus para um homem e fazendo uma comparação, para que fique mais claro, é como se um raio caísse em cima de uma formiga, ou seja, é uma sabedoria muito superior ao nosso entendimento, o que causa muitas interpretações erradas do que verdadeiramente Ele quer nos mostrar.

Foi o que aconteceu pouco antes da nossa expulsão daquele seminário, pois apesar da revelação da vontade de Deus ter vindo para uma dúzia de pessoas, para que a nossa fé fosse fortalecida em conjunto e tivéssemos a certeza que era Ele mesmo, pois o mover atingiu pessoas inclusive em outros estados, que testificavam a mesma coisa, todos vimos com os nossos olhos naturais naquele momento e não com os olhos espirituais.

Eu queria dizer para vocês apenas que Deus usou algo do Mundo, que no meio evangélico tem um certo preconceito, para requerer as riquezas que o mundo havia usurpado do verdadeiro Dono, para a Sua Igreja.

Confesso que até em mim causou um certo desconforto o que estava fazendo, pois eu não sabia sequer que se tratava de um ato profético, o que só me foi revelado tempos depois daquilo tudo ter terminado.

Vemos na bíblia alguns exemplos de atos proféticos, que é quando um profeta do Senhor faz determinadas coisas no natural, para chamar a existência coisas no mundo espiritual para Deus:

“Filho do homem, vire o rosto contra Sidom; profetize contra ela Ezequiel 28:21” (Veja que existe um ato de virar o rosto, que é o ato natural, profético)

Aqui em Jeremias vemos um exemplo claro de um ato profético, para chamar a existência algo no mundo espiritual:

‘Assim me disse o Senhor: “Vá comprar um cinto de linho e ponha-o em volta da cintura, as não o deixe encostar na água”.Comprei um cinto e o pus em volta da cintura, como o Senhor me havia instruído. O Senhor me dirigiu a palavra pela segunda vez, dizendo:”Pegue o cinto que você comprou e está usando, vá agora a Perate e esconda-o ali numa fenda da rocha”.Assim, fui e o escondi em Perate, conforme o Senhor me havia ordenado. Depois de muitos dias, o Senhor me disse: “Vá agora a Perate e pegue o cinto que lhe ordenei que escondesse ali”. Então fui a Perate, desenterrei o cinto e o tirei do lugar em que o havia escondido. O cinto estava podre e se tornara completamente inútil. E o Senhor dirigiu-me a palavra, dizendo: “Assim diz o Senhor: Do mesmo modo também arruinarei o orgulho de Judá e o orgulho desmedido de Jerusalém. Jeremias 13:1-9″ (Veja que o que a terra fez com o cinto no natural representa o que Deus faria com o orgulho de Jerusalém e Judá)

Assim foi comigo meus irmãos, sem entender o que estava fazendo, mas por obediência a Deus, e depois de ouvir uma advertência como:

“A voz falou do céu segunda vez: ‘Não chame impuro ao que Deus purificou’. Atos 11:9

Segui conforme o Senhor havia me mostrado e testificado em nosso espírito que seria daquela forma:

No dia marcado para recebermos as bênçãos de Deus, dia 22 de outubro de 2011, um sábado, nos reunimos na casa daquele irmão que havia sido apresentado no dia da minha saída daquela igreja, que havia também convidado outras pessoas para cear e orar conosco, que ao escrever este post o Senhor me revelou que algumas delas não deveriam estar ali, na verdade era para estar ali apenas os dois casais e os nossos filhos, por isso o motivo de tanta confusão.

Ao começarmos a orar veio grande poder sobre nós, mas era algo diferente, o Espírito Santo estava lá com muita autoridade, com juízo, eu andava sem parar de um lado para outro, enquanto através de mim o Espírito Santo profetizava muitas coisas sobre juízo.

Em um determinado momento recebi um comando do Senhor para por a mão no ombro do meu irmão que estava de joelhos orando e ao começar a orar em outras línguas o meu irmão passou a interpretá-las, eram palavras de juízo sobre a igreja. Uma irmã que estava na sala, sequer conseguia levantar a cabeça e nos olhar, tamanha autoridade que estava sobre nós.

Em um determinado momento, eu comecei a profetizar sobre o juízo que vinha sobre a igreja a qual o pastor havia blasfemado, nesse instante a irmã que era membro daquela igreja, mesmo depois de ter presenciado tantas manifestações do Senhor na nossa vida, disse que não poderia mais permanecer ali, e foi através dela que o ocorrido ali causou a minha expulsão daquele seminário.

Enquanto ela se retirava o Senhor me disse algo sobre o que ela faria logo depois:

“O que Ela fará tem o mesmo peso do que Judas fez comigo!”

A diferença aqui e que não eram moedas de prata e sim cargos!

Continuamos sem ela e em determinado momento percebemos que no natural não havia acontecido como esperávamos, porém em meu espírito algo queimava e me mandava orar.

Dessa vez quem orava em outras línguas era o meu irmão, que estava ao meu lado, eu dizia repetidamente: 

Senhor eu não aceito!

Ao tocar o meu irmão que orava em outras línguas, ouvi em Português claro, apesar dele não estar falando em Português, sua voz que repetia: 

“Dá um Brado! dá um Brado!”

Me lembrei do brado que havia dado na igreja e que havia assustado o que estava agindo naquele lugar e da Glória de Deus que nos tocou, com ondas de poder e dei o maior Glória a Deus que já dei na minha vida, enchi o peito e bradei: 

“Gloria a Deus!!!”

Naquele momento o meu irmão disse que ouviu um rugido de um leão e um demônio correndo de dentro de uma igreja.

Ao mesmo tempo, no exato momento do brado de Glória que eu havia dado, do outro lado do país, em Boca da Mata, cidade do interior de Alagoas, Brasil, o meu sobrinho de mais ou menos três anos de idade, gritava pois tinha visto um demônio saindo debaixo da sua cama, usando as palavras de uma criança é claro. O susto foi tamanho que a criança teve uma convulsão e teve que ser levada ao hospital, porém depois de todos os exames nada foi encontrado naturalmente que pudesse ter levado aquela criança a ter aquele mal súbito.

O poder que foi liberado naquele dia, com aquele brado de Glória a Deus, incomodou até um demônio que estava do outro lado do país, pois para de Deus não tem distância nem barreiras.

Cheguei em casa pouco mais da meia noite e em seguida recebi duas ligações, de pessoas que estavam presentes naquela reunião, porém de casas e cidades diferentes, ambas eram para dizer que o Senhor havia mandado eles me darem alguns versículos em Apocalipse, que para testificar em meu espírito veio de pessoas diferentes e de lugares diferentes, em um intervalo de tempo de poucos minutos:

“7. Ao anjo da igreja em Filadélfia escreva: Estas são as palavras daquele que é santo e verdadeiro, que tem a chave de Davi. O que ele abre ninguém pode fechar, e o que ele fecha ninguém pode abrir. 8. Conheço as suas obras. Eis que coloquei diante de você uma porta aberta que ninguém pode fechar. Sei que você tem pouca força, mas guardou a minha palavra e não negou o meu nome. 9. Vejam o que farei com aqueles que são sinagoga de Satanás e que se dizem judeus e não são, mas são mentirosos. Farei que se prostrem aos seus pés e reconheçam que eu amei você.  10. Visto que você guardou a minha palavra de exortação à perseverança, eu também o guardarei da hora da provação que está para vir sobre todo o mundo, para pôr à prova os que habitam na terra.  11. Venho em breve! Retenha o que você tem, para que ninguém tome a sua coroa.  12. Farei do vencedor uma coluna no santuário do meu Deus, e dali ele jamais sairá. Escreverei nele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu da parte de Deus; e também escreverei nele o meu novo nome.  13. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Apocalipse 3:7-13″

Naquele momento não entendi  muito o que o Senhor queria me dizer com aquela passagem, mas entre outras coisas ele estava me dizendo o que eu sofreria dias depois, com a minha expulsão e a acusação de espírito de engano, porém estava me dizendo que Ele tinha a chave de Davi, e que estava pondo diante de mim uma porta que ninguém poderia fechar.

Naquele momento o Senhor estava profetizando esse blog, esse espaço que hoje para a honra e glória de Deus já alcançou as nações, pois em menos de um ano já chegamos a mais de  80.000 visualizações dos 100 vídeos postados no YouTube, que na sua grande maioria estão legendados o que possibilita a sua tradução para mais de 60 idiomas, e mais de 9.000 visitantes no blog, sendo que cada pessoa conta apenas uma vez ao dia.

Digo essas coisas para que vocês saibam que o Senhor Jesus, a quem sirvo,  é poderoso, homens podem achar que decidem sobre nossas vidas, porém a Palavra final sempre é a DELE!

A passagem que me foi dada naquele dia em Apocalipse também me confirma o juízo que está vindo sobre aquele lugar.

Depois daquela ligação fui dormir e as 06:00hs da manhã despertei com uma voz audível que me dizia:  “Mudou!”

Naquele instante, apesar do natural dizer o contrário, em meu espírito sabia que algo havia mudado no espiritual e que eu deveria receber o que me havia sido prometido, sei que o Senhor não me revelou tudo no momento para que as minhas convicções não fossem abaladas para o ato profético, que mesmo sem saber, eu faria na segunda, dia 24 de outubro de 2011.

Para fortalecer a minha convicção e fé, no dia anterior, sábado, pela manhã, havia recebido uma ligação de minha irmã de sangue, de Maceió-AL, dizendo que precisava me dar um recado, pois na madrugada havia tido dois sonhos onde era exortada a me dar aquele recado. Sendo que no segundo sonho ouvia a voz que dizia que era responsabilidade dela me dar aquele recado. Ela me deu um recado que era mais ou menos assim:

“Não importa quantas vezes eu mande você fazer a mesma coisa, não pense que estou te confundido, faça sem duvidar, pois eu não confundo os meus eleitos!”

Na madrugada do dia 24 de outubro, eu e minha esposa acordamos com um calor como nunca havíamos sentido e com a voz de anjos que oravam em nosso quarto, era a preparação para o que eu iria fazer para Deus naquele dia, praticamente não dormimos e ao acordar percebi que de alguma forma aquele fogo que estava sobre mim toda madrugada com a presença daqueles anjos, havia modificado até a estrutura das minhas unhas das mãos, que agora tinham ranhuras em alto relevo como um plástico que é levado ao fogo e fica enrugado, elas estão assim até hoje.

Como o Senhor havia me orientado teríamos que estar em um Shopping de Porto Alegre, exatamente as 9:45 Hs, foi naquele lugar e naquele dia que se cumpriu parte da profecia que o Senhor havia me liberado aos meus 8 anos de idade, a exatamente 30 anos antes daquele dia, sobre isso já falamos antes nessa mesma série de post´s.

Ao chegar no estacionamento daquele Shopping, parei por orientação do Senhor para fazer uma oração. Orei Assim:

“Pai, em nome de Jesus, eu peço que venha sobre mim toda a Tua Autoridade, para que eu possa requerer o que é Teu e da Tua igreja, que hoje está em poder do mundo!”

Nesse instante meus irmãos o carro tremeu e balançou como se estivéssemos em um terremoto, não era um simples balanço, ele sacudia de um lado para o outro com tamanho poder que havia descido sobre nós!

Glória a Deus que minha esposa é testemunha de todas essas coisas!

continua no próximo post (27/02/2013)…

Navegar na Série<< Porque vocês devem ouvir o que eu digo? Parte IXPorque vocês devem ouvir o que eu digo? Parte XI >>

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *