Porque vocês devem ouvir o que eu digo? Parte I

Esse post é parte 1 de 13 na série Porque vocês devem ouvir o que eu digo?

Graça e Paz Irmãos!

Cumprindo o que o Senhor pôs no meu coração, durante essa semana, gostaria de começar essa série de posts, que tem como objetivo me apresentar a vocês, contando grande parte das  experiências sobrenaturais que tive com Deus desde a minha infância.

Para que vocês entendam que quando Deus escolhe alguém e o separa para Ele, não importará os lugares ou os caminhos tortos que essa pessoa venha a trilhar, no momento certo, Ele, o teu Senhor e Deus, te levará exatamente para o lugar que Ele quer que você esteja.

No meu caso, como Jonas, tentei escapar desse chamado, mesmo que inconscientemente, me escondendo atrás de bebedeiras e orgias, nos lugares mais improváveis que você possa imaginar que Deus estaria, provavelmente para que Ele não me encontrasse.

Mas se Ele te escolheu é porque Ele sabia que na hora exata que Ele precisasse de você para executar a tarefa que Ele havia escrito desde a fundação do mundo, saberia que você seria capaz de dizer um sim e fazer para Ele coisas muito maiores que você imaginaria fazer por você mesmo ou por alguém que ama.

Aos meus oito anos de idade, no ano de 1981, enquanto passava em frente a uma Igreja Católica, onde congregava com meus pais, fui atraído para um jardim que havia na calçada.

Não sabia porque aquilo estava acontecendo, simplesmente sentia um amor e uma paz dentro de mim, como nunca havia sentido antes, enquanto fazia-se um silêncio como se o mundo inteiro tivesse parado.

Me aproximei do jardim e fiquei contemplando as rosas que estavam plantadas ali, enquanto usufruía daquela paz interior e daquele amor, até que ouvi algo que falou em meu espírito, coisas que com aquela idade seria incapaz de entender.

O que me recordo é que falava da morte de alguém e depois me dizia:

“Depois disso sua vida irá mudar!”

Lembro que cheguei em casa assustado e contei para o meu pai o que havia acontecido, sem entender o que havia escutado, disse para ele que achava que Deus estava falando sobre a minha morte.

Só comecei a entender o que havia acontecido ali, quase trinta anos mais tarde, quando em 2005, meu sogro foi assassinado, o que me levaria dois anos mais tarde, em em 19 de dezembro de 2007, a abandonar o estado em que nasci, Alagoas-Brasil, e entrar no programa Federal de Proteção a Testemunhas.

Porém o entendimento total daquela primeira profecia do Senhor na minha vida só chegou 30 anos mais tarde, quando em um Shopping de Porto Alegre-Brasil, em outubro de 2011, enquanto eu realizava coisas maravilhosas para o Reino de Deus, reivindicando em um ato profético as riquezas do mundo para a Igreja, o Senhor me falou novamente em frente a um jardim:

“Veja essas rosas, são iguais aquelas que Te mostrei naquele dia a trinta anos atrás! Ali Eu estava te mostrando esse dia de hoje, em que você faria coisas grandiosas para Mim e para o meu Reino!”

Naquela hora, chorando muito, entendi que a minha vida inteira esteve sobre o Seu controle e que Ele havia me conduzido diretamente para aquele momento, que é apenas o começo das coisas grandiosas que Ele já me revelou que farei para Ele.

continua…

Navegar na SériePorque vocês devem ouvir o que eu digo? Parte II >>

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *