Jesus! Aquele que cura! Parte I

Esse post é parte 1 de 2 na série Jesus! Aquele que cura!

jesus aquele que cura

Vemos no antigo testamento os vários nomes que o povo judeu dava ao Deus Eterno e Todo Poderoso, entre eles podemos citar:

  • EL SHADDAI: “Deus Todo-Poderoso” “Valente de Jacó” – Gênesis 49:24″ (Gênesis 49:24; Salmo 132:2,5);
  • ELOHIM: Deus “Criador, Poderoso e Forte” (Gênesis 17:7; Jeremias 31:33) – a forma plural de Eloah, a qual acomoda a doutrina da Trindade.
  • JEOVÁ-JIRÉ: “O Senhor proverá” (Gênesis 22:14);
  • JEOVÁ-NISSI: “O Senhor é minha bandeira” (Êxodo 17:15);
  • JEOVÁ-MAKADESH: “O Senhor que santifica, torna santo” (Levítico 20:8, Ezequiel 37:28);
  • JEOVÁ-RAFA: “O Senhor que sara” (Êxodo 15:26) – “Eu sou o Senhor que te sara”.

Esses e outros tantos nomes que podemos encontrar, se resumem hoje em um só: JESUS.

O apóstolo João, em seu evangelho diz:

“Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. João 3:18

Através do nome de Jesus temos livre acesso a Deus para usufruir de tudo que representava aqueles nomes dados pelo povo judeu ao Altíssimo.

Podemos invocar o nome de Jesus para prover as nossas necessidades (Jeová-Jiré), para nos defender na ora do infortúnio (El Shaddai), mas gostaria de enfatizar nesses posts que podemos também invocar o nome de Jesus para nos curar (Jeová-Rafá), não só espiritualmente, mas também fisicamente.

No dia 28 de Fevereiro de 2011, a quase dois anos atrás, fui tocado poderosamente por Deus, um encontro que fez queimar meu chamado profético dentro de mim, curou minhas feridas espirituais, mas também curou uma série de enfermidades que me acometiam a muito tempo.

Entre elas posso citar:

  • Após um acidente de automóvel em 1993 fiquei com micro lesões no cérebro, que atingiam a área frontal esquerda, mais ou menos em uma área do tamanho de uma moeda de um real, que me causou durante quase 20 anos sintomas como: náuseas e tontura. A lesão simplesmente desapareceu após esse dia;
  • Sinusite e todas as ‘itis’ que vocês possam imaginar;
  • Constantes dores de cabeça e picos de pressão arterial que me levaram algumas vezes ao hospital.

Fique atento! Satanás vai querer minar a sua fé!

Depois do dia 28 de Fevereiro de 2011, até a última segunda feira dia 10 de Dezembro de 2012, não havia tido sequer uma dor de cabeça.

Tenho percebido que sempre que prego sobre algo aqui no blog, Satanás vem com tudo sobre mim justamente naquele área que eu preguei para tentar provar para mim que Deus é mentiroso e que estou pregando algo para as pessoas que eu mesmo não consigo viver.

Recentemente tive a direção do Senhor de gravar uma oração pela cura dos que estavam me ouvindo, onde mostrei alguns versículos que falavam que isso era nosso direito.

Como sempre Satanás não me surpreendeu, e agiu exatamente como vinha agindo em todas as áreas que havia pregado anteriormente e na madrugada da segunda dia 10 de Dezembro de 2012, acordei com tontura e muito enjoo.

Voltei a dormir, acordando por volta das dez da manhã, pois estava de folga, fiz um leite para minha filha e o que aconteceu em seguida, e durante toda a semana, veio como uma bomba sobre as minhas convicções na Palavra, sobre o poder que está disponível para todos nós para nos curar de todas as enfermidades através do nome de Jesus.

Minha filha ao tomar o leite correu para o banheiro para vomitar, minha esposa levantou-se com muitas dores abdominais e comigo não foi diferente, em resumo um forte espírito de enfermidade havia nos atingido.

Diferente das outras vezes o Senhor não havia me mostrado a ação do inimigo antes que acontecesse, a paz em relação a minha saúde e de minha casa que durou quase dois anos havia acabado?

A solução agora seria orar para repreender aquela enfermidade, porém diferente das outras vezes o Senhor também não me dava direção de como orar e teria que ser apenas uma oração por mim mesmo, sem a costumeira direção do Senhor que me levava direto ao ponto do problema.

Fiz as orações, porém a situação da minha esposa só piorava e por volta das vinte e duas horas do mesmo dia, ao vê-la desesperada de tanta dor, mesmo inconformado com aquela situação, levei-as a emergência de um hospital, onde ao chegar ela sofreu um desmaio, sendo prontamente atendida.

Enquanto minha esposa estava sendo atendida na emergência consultei também minha filha. Tudo naquela situação me incomodava, pois além de estar à quase dois anos sem precisar medicar minha família, estava agora na madrugada, em uma emergência de hospital com toda a minha família, inclusive com meu bebê de sete meses nos braços, pois não tinha com quem deixá-lo, confesso que poucas vezes na minha vida me senti tão só e frustrado.

Para completar naquela madrugada caiu em Porto Alegre um dos maiores temporais dos últimos anos, deixando a cidade com ruas interditadas e alguns lugares sem energia.

Minha esposa ficou tomando soro e sendo medicada até pouco mais das três da madrugada do dia seguinte, enquanto eu aguardava nos bancos da recepção com minha filha de 6 anos e meu filho de 7 meses nos braços.

Apesar de estar com uma disfunção intestinal, náuseas e muitas dores abdominais, tomei uma decisão: Não iria me consultar!

Para muitos isso parece ser um radicalismo em excesso e não quero aqui dizer que ninguém deve deixar de procurar os médicos nem parar de tomar remédios, pois se fosse assim não teria permitido que minha família fosse tratada dessa forma.

Quero dizer que minha revolta com Satanás era tanta por aquela situação toda que resolvi ter uma conversa com Deus, mesmo sem ter respostas concretas naquele momento, o que me levou a tomar essa decisão.

Eu não podia admitir estar passando por aquilo tudo, e o que é pior ter orado e a cura não ter vindo, depois de ver tantas manifestações do poder de Deus através de orações que fiz para mim mesmo, para minha família e pessoas enfermas que já orei.

Eu que já vi a Glória de Deus descer sobre enfermos enquanto orava e eles serem restabelecidos, não podia aceitar essa armadilha de Satanás nesse ministério que Deus me propôs.

Tenho certeza que se tivesse cedido naquele momento nunca mais seria o mesmo nessa área do meu chamado e por isso disse a Deus coisas que podem parecer fortes, se olharmos para uma conversa com  o Criador do Universo, mas se lembrarmos que através de Jesus nos tornamos filhos, veremos que foram algumas reclamações de um filho aborrecido com a situação.

Na conversa fiz uns questionamentos e disse coisas como:

“Não posso mais pregar o que prego se não puder viver o que prego, pois se fosse assim seria um mentiroso. Sei que a Tua Palavra não mente, e que Tu não és mentiroso, porém se prego a Sua Palavra e não a vivo sou mentiroso!”

“Não vou tomar remédio, pois sei que Podes me curar, se for para ser assim prefiro que me leve logo!”

O pior de tudo isso é que as respostas não vinham, e eu estava com  tantas nauseas que nem a bíblia que sempre me dava força nessas horas eu conseguia ler e mal conseguia fazer uma oração com a confusão mental que toda aquela situação estava me causando.

Porém, o Senhor começou a me lembrar de coisas que haviam acontecido no sábado anterior e na madrugada do domingo que me davam as respostas para o que estava acontecendo.

Continua…

Navegar na SérieJesus! Aquele que cura! Parte II >>

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *