Você alguma vez já não se sentiu a vontade para orar por algo?

Depois que confessei Jesus como Senhor e Salvador da minha vida, compreendi o quanto o poder de Deus está disponível para manter sãos tanto nosso espírito como nosso corpo.

Tenho testemunhado nos últimos anos a poderosa manifestação do poder de Deus em curas e libertações que se fossem testemunhadas pelo homem mais descrente desta Terra o faria se converter dos seus maus caminhos e dobrar seus joelhos diante do criador de todas as coisas.

Tenho orado por tantos quantos o Senhor envia para mim e também por mim e para os da minha casa, porém algumas vezes tenho visto também muitos dos meus irmãos que recebem oração e não recebem a cura.

Já escrevi sobre cura outras vezes aqui no blog, porém nunca tinha me deparado com uma situação como a que estou me deparando agora.

Há menos de dois meses descobri que nasci com dois marcadores genéticos que dizem para o meu organismo que a proteína do glúten é um agressor, como um virus ou uma bacteria, liberando anticorpos que atacam a proteína do glúten, principalmente quando ela chega no duodeno, que na batalha sai como o maior perdedor, passando a sofrer de uma inflamação crônica ou duodenite.

Não existe remédio para um celíaco, a única solução é deixar de comer produtos que contem glúten para poder ter uma vida saudável, sem correr o risco de desenvolver um linfoma de intestino no futuro.

Desde que descobri isso passei a viver um grande dilema com cristão e crente na cura divina que sou, pois ao mesmo tempo que tenho vontade de ser curado e voltar a comer todas as delicias que contem glúten que agora estou privado de comer, algo muito forte me diz que se eu deixar de comer todas essas guloseimas viverei alguns anos a mais.

Então eu me pergunto o que é melhor para mim?

A resposta é: Deus sabe!

O que sei é que nesse período sem glúten e lactose, que também descobri ser intolerante, minha qualidade de vida deu um salto que eu nunca imaginei que seria possível e nesse pouco tempo já perdi quatro quilos sem fazer o menor esforço, pois definitivamente meu sistema digestivo voltou a funcionar.

Ao escrever esse post chego a conclusão que o melhor a fazer nesses casos específicos é deixar tudo nas mãos daquele que conhece o que é melhor para nós, não pedindo nada da carne e para a carne, apenas descansando e sabendo que tudo está sobre o controle do altíssimo, pois não foi por acaso que entre os mais de 7.000.000.000 de habitantes da terra eu faria parte de um grupo de apenas 0,17% dessa população.

Fiquem todos na paz do Senhor e orem para que Deus faça o que é melhor para nós e não apenas o que queremos ou achamos ser o melhor!

“Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.” Thiago 4:3

A Travessia do Rio Hudson – Um Sonho que Eu Tive!

riohusdson

Rio Hudson

Nesta madrugada sonhei que estava fazendo uma precária travessia de um grande rio.

Não era sobre uma ponte moderna, em um automóvel luxuoso, era uma travessia a pé, descalço, sobre uma ponte de madeira muito precária que em alguns lugares chegava a tocar nas águas daquele rio, ao ponto de molhar os meus pés.

A travessia era muito longa, porém eu estava quase na margem daquele grande rio, a poucos metros.

Me acompanhavam na travessia milhares de pessoas e outras milhares aguardavam na margem oposta o momento de atravessar.

Eu segurava no colo uma criança, com a outra mão guiava outra um pouco mais velha, que por sua vez segurava na mão de uma mulher, que creio ser estes a minha mulher e meus filhos, apesar de não ver seus rostos.

A margem do rio ao qual chegávamos tinha um certo declive, um pequeno monte, a estrada que seguia era de terra batida, um pouco lamacenta na margem do rio, provavelmente por aquelas pessoas estarem pisando com os pés molhados.

No início daquela pequena elevação estavam alguns cavaleiros, montado em seus cavalos com roupas de batalha, estavam a frente daquela multidão como se certificando que o caminho estava seguro para que todos seguissem em frente.

Naquele momento ouvi alguém falar “Rio Hudson”, que é um rio 507 km que corre de norte a sul, principalmente através do leste de Nova York nos Estados Unidos.

A travessia era difícil e muito arriscada, pois a ponte balançava com as águas do rio, mas o fato de estar no fim da travessia me dava um certo alívio.

Observo para esse sonho como os momentos de tribulações que tantos de nós que nascemos de novo em Jesus estamos atravessando.

As dificuldades da Igreja de Cristo nos dias de hoje, dos que são assassinados nas “guerras santas” espalhadas pelo mundo simplesmente por professarem sua fé.

Dos que sofrem dia após dia em uma sociedade corrompida em seus valores, onde fica cada vez mais difícil ser o que somos e professarmos a nossa fé sem sermos estigmatizados e muitas vezes tratados como alienados por essa sociedade totalmente corrompida em seus valores básicos.

Apesar de estar perto do fim da travessia, me sinto entristecido ao recordar dos milhares que ainda esperam para atravessar a ponte, que se encontrava tão precária e frágil como esse mundo em que vivemos, não sabendo se daria tempo de todas aquelas pessoas concluírem a travessia.

Por outro lado, apesar de toda precariedade, me recordo daqueles soldados a frente daquela multidão preparando um caminho seguro para seguirmos em frente, assim como faz nosso poderoso Deus todos os dias da nossa vida enviando seus anjos para nos guardarem dos infortúnios que esse mundo de trevas tenta nos impor.

Queria encerrar dizendo aos meus irmãos em Cristo espalhados pelos quatro ventos, que apesar das dificuldades nunca se sintam só, pois em espírito estamos cercados de uma multidão e a nossa frente, guiando nossos passos, vai o comandante dos Exércitos Celestiais para que concluamos a nossa travessia nessa terra de trevas em segurança, até o dia de nos encontramos com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Que a graça e paz do nosso Senhor e Salvador sejam com todos vocês, meus irmãos!