A Vida de Um Homem Depende dele Até que Ponto? Parte XII

Esse post é parte 20 de 60 na série A Vida de Um Homem Depende Dele Até Que Ponto?

palavras_criador_XXVII

“Tudo que vai ser dito abaixo está na primeira pessoa e foi  escrito no dia 28/07/2013. Queria esclarecer que sou apenas quem digitou as palavras abaixo, pois as mesmas foram repetidas uma a uma aos meus ouvidos espirituais, por isso deixo claro aqui que as palavras não são minhas, são dAquele me enviou.”

Foi assim que Eu tentei ensinar aos homens desde o princípio:

Com amor e correição!

Mas mesmo assim os homens sempre se desviaram para outros caminhos que não levavam a Mim, levavam sim a cada vez mais afastá-los de Mim por caminhos longos e demasiadamente cansativos.

Esses caminhos, eram na verdade, alternativas para que ele pudesse tentar suprir a ausência que havia agora dentro dele, que era a sua essência desde o princípio, Eu mesmo, que após Me afastar dele, depois da queda, fazia-o agora sentir-se como um amputado de um braço que continua sentindo ele, mesmo sem o seu membro estar mais lá.

Assim era o homem em relação a Mim, mesmo sem Me ver, ele continuava a Me sentir, como se nunca Eu tivesse saído de lá, porém isso o angustiava, da mesma forma que angustia ao homem que sente uma coceira em um braço que não mais existe.

Para compensar isso, ele agora preenchia esse vazio com as ofertas que satanás punha a sua frente, ofertas que satisfaziam apenas a carne, como uma prótese que preenche o lugar onde antes havia o braço mas não se liga a sua carne, da mesma forma que essas ofertas de satanás a ele não se ligavam ao seu espírito.

Posso dizer mais o que sobre isso?

Que dia após dia ele tentava satisfazer-se com mais e mais dessas ofertas, cada vez mais tentadoras, na mesma proporção que também eram mais destruidoras do que sobrou da sua natureza espiritual, pois agora a cada nova parte que ele substituía por aquilo que era o verdadeiro, o espiritual, se tornava cada vez mais natural e morria dia após dia, até sucumbir-se com um vazio interior que o levava a morte natural e espiritual.

Porque então o homem tenta e não consegue preencher esse vazio, que ficou depois da Minha saída, com coisas materiais, como uma prótese que é colocada em um membro que foi amputado e não consegue suprir o vazio que restou?

Eu vós respondo:

Porque da mesma forma que a sede da carne só se satisfaz com as coisas da carne, a sede do Meu Espírito só se satisfaz com as coisas do espírito…

Continua…

Deseja Adquirir o Livro ou Ebook Desta Série?

Você pode encontrar na Amazon ou no Clube de Autores

Ebook Livro Impresso
No Clube de Autores  capa_ebook
Navegar na Série<< A Vida de Um Homem Depende dele Até que Ponto? Parte XIA Vida de Um Homem Depende dele Até que Ponto? Parte XII – Vídeo >>

Tags , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *